Xangô


Pai Xangô
JUSTIÇA E EQUILIBRIO

A justiça é a virtude de dar a cada um aquilo que é de seu merecimento. Deus é justo e gera tudo com equilíbrio. No sentido da justiça todos nós temos os mecanismos mentais necessários para desenvolvermos condutas equilibradas e adquirirmos posturas pessoais sensatas e racionais, anulando nossa emotividade e nosso instinto primitivo. Para isso, somos dotados de livre-arbítrio, quando encarnados.

A qualidade da Justiça Divina, equilibradora, é manifestada pelo orixá Xangô, que purifica nossos sentimentos com sua irradiação incandescente, abrasadora e consumidora das emotividades. Xangô é a força coesiva que dá sustentação a tudo. Ele está na Natureza como o próprio equilíbrio, tanto na estrutura de um átomo quanto no Universo e em tudo que nele existe.

Quem absorve a qualidade de pai Xangô, torna-se racional, ajuizado, ótimo equilibrador do seu meio e dos que vivem a sua volta. A escolha racional nos leva ao equilíbrio da alma, pelo conhecimento da lei que nos rege e nos diz o que é certo e o que é errado na vida. Essa Lei não é cega nem falível, pois se ensinarmos errado, seremos colhidos por ela, que exige muito de quem conhece os mistérios da razão. Mas, se trilharmos no equilíbrio da Lei, iremos adquirir uma Fé inabalável no que fazemos e no que falamos e nada será feito ou dito em vão; tudo terá sua razão de ser. È isso que faz com que aqueles que já adquiriram o seu equilíbrio e se tornaram conhecedores da Lei sacrifiquem-se em benefício dos semelhantes, sem nada esperar em troca. Tudo se resume em servir a sua família, ao seu círculo familiar, à sua comunidade, tanto civil quanto religiosa, a servir a Deus.

Quanto às pessoas instintivas, não desenvolveram os sensos de Justiça e a vida delas se resume a uma permanente busca de satisfação pessoal, mesmo que à custa dos semelhantes. Uma pessoa instintiva costuma procurar essa satisfação em todos os sentidos da vida e tudo tem de ser para ela e por ela, senão se sentirá preterida ou injustiçada e torna-se intolerante e mesquinha.

A emotividade não suporta nenhum tipo de contrariedade, levando-nos a ver qualquer ação refreadora como ofensa pessoal, por isso deve ser contida pelo sentido equilibrador da Justiça. Assim, não nos tornamos pessoas que se sentem injustiçadas pelos semelhantes, inferiorizadas, abandonadas, traídas e menosprezadas. Nossa emotividade e nosso instinto primitivo devem ser transmutados lentamente em senso, em razão e equilíbrio, senão nos tornamos egoístas, possessivos, vingativos, intransigentes e intolerantes com nossos semelhantes e conosco.

Quando se torna um equilibrador de seus semelhantes é porque descobriu o sentido da vida.

Que Pai Xangô nos equilibre a todos!

Salve nosso Pai Xangô!
Xangô


Pai Xangô é o orixá da Justiça e seu campo de atuação preferencial é a razão, despertando nos seres o senso de equilíbrio e equidade, pois só conscientizado e despertado para os reais valores da vida a evolução se processa num fluir contínuo.

A irradiação da Justiça Divina é uma onda viva que nasce em Olorum e alcança tudo e todos. Xangô é o pólo positivo dessa onda, que equilibra tudo, desde a gênese das coisas até o sentimento dos seres. Ele é irradiação contínua e chega a todos, não deixa nada nem ninguém sem o amparo da justiça Divina. Ele gera e irradia a chama da Justiça Divina, que aquece o racional dos seres e abrasa os sentimentos íntimos relacionados com as coisas da Justiça e da Razão. Xangô atua através do mental e vela pela harmonia e pelo equilíbrio na evolução. Pai Xangô é abrasador, é a chama universal, é o raio solar gerador da vida, gera o equilíbrio da Justiça; é racionalista e aquecedor dos sentimentos equilibrados.

É fundamental para a nossa evolução o desenvolvimento do senso de Justiça, da Razão, do Equilíbrio, do Juízo e de posturas sensatas, deixando de lado a emotividade e o instinto.

Pessoas instintivistas, no campo profissional, buscam cargos de destaque, de chefia e melhor remunerados, pois sua satisfação pessoal não aceita nada que seja subalterno. No campo religioso, querem estar acima de todos e, se é um assistente, quer toda a atenção para si, não se importando com mais ninguém. No campo familiar, tem de ser o dono da família e não aceita ser contrariado por ninguém. No campo amoroso, não se importam com os sentimentos alheios, pois os seus é que devem ser satisfeitos e não aceitam nenhum tipo de crítica ou advertência.

Oração a Pai Xangô

Amado Pai Xangô, Justiça Divina do Criador!

Rogamos a Vós, Querido Pai, que nos irradie e nos envolva com Vossos fluidos energéticos ígneos, equilibrando-nos e harmonizando-nos em todos os sentidos. Traga força e luz em nossos caminhos, para que nelas vivamos e as usemos em benefício de nossos semelhantes, com Justiça e Amor.

Aqueça-nos, ó Pai Divino, com Vosso calor sagrado, expandindo nosso campo de ação e estimulando em nós sentimentos nobres, para que nos tornemos luzes calorosas, ajuizadas e sensatas do nosso Divino Criador.

Estimule em nós, Pai Xangô, o aquecimento de nossos corações, para que vibremos sentimentos justos, sábios e equilibrados, livrando-nos das trevas, para que sempre sirvamos à Luz e a Lei Divina.

Acolha-nos em Vossa luz, dando-nos sabedoria, conhecimento e oportunidade para eliminarmos as pedras e os espinhos que por ventura encontremos em nossa caminhada. Traga-nos força e proteção, para que nossos caminhos sejam abertos e sem tropeços e nossos pensamentos e sentimentos íntimos sejam abençoados e amparados pela Lei.

Vós que sois o Juiz da Lei Divina, Pai Amado, anule as magias negativas dirigidas contra nós, pesando-as em Vossa balança e purificando os pecadores em vossa chama sagrada, de acordo com o merecimento de cada um.

Ajoelhamos diante de Vós, Justiça Divina da Lei Maior, e pedimos Por nós, por nossos familiares e amigos e por todos os seres ligados a nós pelos cordões invisíveis da vida.

Estenda a Vossa Luz, ó Pai Xangô, a todos aqueles que caminham na escuridão dos instintos e emoções negativas da matéria ou do espírito, para que eles tenham a oportunidade de descobrir Vosso calor, equilíbrio e Justiça Divina.

Livre-nos, Pai, da escravidão às emoções e os instintos, refreando e transmutando nossos sentimentos e atitudes negativos, para que nos tornemos amorosos, fraternos, bondosos, benevolentes e tolerantes com os nossos semelhantes.

Abençõe-nos, Pai da Justiça Divina!

Kaô Kabecilê, amado Pai Xangô!

XANGÔ – um dos Orixás mais temidos pelo fato de ser Ele o determinador da Justiça e quem ativa a Lei em nossas vidas, fazendo valer o ponto que diz “quem deve paga e quem merece recebe”. Portanto, oferendar Xangô é muito forte e muito especial, é nesse momento que devemos baixar nossas cabeças e permitir que seja feita a vontade de Deus e não a nossa. E é esse o “espírito da coisa”: não se oferendaXangô para pedir a nossa justiça, mas a justiça Divina. Infelizmente, isso pouco acontece, pois as pessoas estão viciadas em seus desejos e julgamentos e vão logo aos pés do Grande Rei Xangô pedir seus desejos, o que é um grande erro. Devemos oferendar Xangô para buscar e pedir equilíbrio entre a razão e a emoção, a justiça, a sensatez, a razão, a determinação e a coragem para recebermos aquilo que merecemos. Pedimos a Ele que nos mantenha sensatos e livres de quaisquer julgamentos, tanto os que emitimos quando os que recebemos.